Castelo de São Jorge

O Castelo de São Jorge, originalmente conhecido simplesmente como Castelo dos Mouros, ergue-se numa posição dominante sobre a mais alta colina do centro histórico. Proporcionando aos visitantes uma das mais belas vistas da cidade e o estuário do Tejo. Uma monumento que se infiltra em quase todas as fotos da cidade.

Ande pelas suas muralhas e pátios sombreados de pinheiros, para desfrutar das vistas da cidade com os seus telhados vermelhos e o rio. No castelo estão disponíveis três visitas guiadas diárias (português, inglês e espanhol) às 13h e 17h, estão incluídas no preço de entrada.

Esses pedregulhos lisos têm visto de tudo: Visigodos no século V, mouros no século IX, cristãos no século XII, realeza dos séculos XIV e XVI e condenados em cada século.

História

Anteriormente era conhecido como Castelo dos Mouros, porque era uma fortaleza muçulmana reconquistada meados do século XII por Alfonso Henríquez, o primeiro rei de Portugal, após um cerco de três meses e com a ajuda dos cruzados (daí o seu nome, pois muitos deles professavam devoção ao mártir São Jorge). No século seguinte, para constituição de Lisboa como a capital do reino, e até meados do XVI, o Castillo de San Jorge viveu o seu período de máximo esplendor, então reconvertida Palácio Real. Aí testemunhou eventos históricos, como o recebimento de Vasco da Gama à sua voltar da Índia. Após o terramoto de Lisboa de 1755, o castelo estava em ruínas e não se começou a restaurar até o século XX.

O Castelo

Dentro da Torre Ulysses, uma câmara obscura oferece um ângulo único de 360 graus de Lisboa, com demonstrações a cada 20 minutos. Há também algumas galerias que exibem relíquias de séculos passados, incluindo vestígios do bairro mourisco que datam ao século XI. Mas a atracção destacada é a visão, bem como a sensação anacrónica de retroceder no tempo entre pátios fortificados e muros altos. Há alguns cafés e restaurantes para passar o tempo também.

Info

O autocarro 737 da Sé ou Praça da Figueira vai directo ao portão. O eléctrico 28 também passa nas proximidades. Uma escada rolante que atravessa a colina da Praça Martim Moniz está prevista para estar em operação até 2017.

Se você visitar no verão, você provavelmente vai encontrar algum músico de rua a animar a subida íngreme até a entrada do castelo, onde também são frequentes festivais de música e teatro nessa época do ano.

Published by

Deixar uma resposta